Radiação (série Césio 137), 1987

Stencil, spray sobre papel.
 

Césio 137

A série resultou em uma exposição, de mesmo nome, em São Paulo, que tratou, entre outros assuntos ecólogicos, do acidente com o césio 137, 1987, em Goiânia, capital do Estado de Goiás, Brasil.

Na ocasião, dois catadores de materiais recicláveis manusearam indevidamente um aparelho de radioterapia abandonado onde funcionava o Instituto Goiano de Radioterapia. O vazamento do material radioativo atingiu direta e indiretamente centenas de pessoas.

A Associação das Vítimas do Césio 137 afirma que até o ano de 2012, quando o acidente completou 25 anos, cerca de 104 pessoas morreram nos anos seguintes pela contaminação, decorrente de câncer e outros problemas, e cerca de 1 600 tenham sido afetadas diretamente (1). Os resultados para as 46 pessoas com maior nível de contaminação estão mostrados no gráfico de barras abaixo. Várias pessoas sobreviveram, apesar das altas doses de radiação. Isto pode ter acontecido, em alguns casos, porque receberam doses fracionadas. Com o tempo, os mecanismos de reparo do corpo poderão reverter o dano celular causado pela radiação.

 

  1. Goiânia, 25 anos depois: 'Perguntam até se brilhamos', diz vítima». ISTOÉ Independente. Editora Três. 13 de setembro de 2012. Consultado em 16 de abril de 2017